Segurança durante a época de carnaval nas estradas e com os veículos

Chegou o Carnaval, o que significa: pé na estrada. Por isso, se você pretende viajar de carro nos dias de festa, a atenção deve ser redobrada. Veja seu roteiro, planeje sua viagem e vá com cuidado: assim, a folia vai ser muito mais gostosa! Confira nossas dicas de cuidados para ter uma viagem tranquila e chegar no destino final com muita alegria e animação.

Atenção com o carro

O primeiro passo antes de ir viajar é submeter seu veículo a uma revisão mecânica e checagem dos pneus, incluindo estepe. Bem como conferência de todos os itens de segurança, como cintos e triângulo de sinalização. Estar em um carro em boas condições é fundamental para uma viagem segura. Embora não sejam obrigatórios, é interessante ter no veículo um extintor de incêndio e um kit de primeiros socorros, sobretudo se o trecho a ser percorrido for longo ou deserto. Ter esses itens à mão pode ser fundamental em caso de algum acidente.

 

Documentos do carro

Muita atenção com a documentação do veículo e do motorista! Tenha com você a Carteira Nacional de Habilitação válida e o licenciamento do veículo. Esses documentos são importantíssimos e a falta deles poderá causar sérios transtornos

Planeje sua viagem

Já planejou o seu roteiro de Carnaval? Antes de começar a viagem, é essencial planejar cada etapa do passeio para tudo sair como previsto. Veja pontos estratégicos de parada no caminho, se precisará abastecer ou pedágios que enfrentará.

Fique atento às cadeirinhas específicas por idade. Até sete anos e meio é obrigatório utilizar os acessórios para a segurança dos pequenos, e até doze é sempre no banco de trás. Também vale lembrar que para todos os passageiros, independente da idade, cinto de segurança é regra em qualquer lugar!

Cadeirinha de crianças

Fique atento às cadeirinhas específicas por idade. Até sete anos e meio é obrigatório utilizar os acessórios para a segurança dos pequenos, e até doze é sempre no banco de trás. Também vale lembrar que para todos os passageiros, independente da idade, cinto de segurança é regra em qualquer lugar!

Cuidados ao volante

Além das condições do veículo, o motorista deverá obedecer a todas as regras quanto ao limite de velocidade, situação de risco das estradas etc. Neste momento, a tranquilidade ao volante é sempre uma grande amiga.

Embriaguez

Infelizmente, durante o carnaval, grande parte das pessoas acaba exagerando na bebida. Esta é uma das principais causas de graves acidentes e até mesmo de morte nas estradas por todo Brasil. O exagero com relação à bebida provoca também as populares “ressacas”, fazendo com que as pessoas se sintam sem forças para absolutamente nada no dia seguinte. Para evitar isso, recomenda-se a palavra-chave em todas as situações: Moderação.

Neblina

Dirigir com neblina pode parecer assustador, mas é mais fácil do que parece. Se a via que você pegar estiver coberta por cerração, o passo inicial é manter a calma. Reduza a velocidade e mude para a faixa que mais sinta confiança dirigindo – mas depois não saia dela! Com neblina, o ideal é evitar transitar entre pistas. Não caia na tentação de usar os faróis altos nessa situação: ligue as luzes baixas e se o carro que você está tem faróis de milha, é hora de usá-los. Sobre o pisca-alerta: nunca o ligue com o carro em movimento, pois confunde os motoristas que vêm logo atrás. Seguindo essas dicas, basta ficar atento às faixas da pista que a viagem será super tranquila!

Cuidados ao volante

Além das condições do veículo, o motorista deverá obedecer a todas as regras quanto ao limite de velocidade, situação de risco das estradas etc. Neste momento, a tranquilidade ao volante é sempre uma grande amiga. Para viagens longas, recomenda-se fazer mais paradas e alternar de motorista, já que os acidentes de trânsito muitas vezes podem ser causados por cansaço e sono. Aliás, pegar estrada com sono não é boa ideia! Ao dirigir, tenha total certeza que está apto a ficar por longas horas em estradas e filas – principalmente se tratando de um feriado com trânsito intenso. O ideal é pegar no volante só depois de um bom período de sono e descanso. É importante lembrar que bebidas energéticas não são recomendadas nestes casos: se precisar adiantar ou adiar a viagem para descansar melhor, essa é a melhor saída.

Cuidados com a chuva

Se você estiver dirigindo em pista molhada, redobre a cautela e dirija mais devagar. O ideal é manter uma boa distância do carro da frente para possíveis frenagens bruscas, além dos vidros desembaçados, para uma visão melhor do ambiente. Se o para-brisa não estiver dando conta, então é hora de parar em algum posto de gasolina e esperar a chuva passar.

Os tipos de EPI’s utilizados podem variar dependendo do tipo de atividade ou de riscos que poderão ameaçar a segurança e a saúde do trabalhador e da parte do corpo que se pretende proteger, tais como:

– Proteção auditiva: abafadores de ruídos ou protetores auriculares;
– Proteção respiratória: máscaras e filtro;
– Proteção visual e facial: óculos e viseiras;
– Proteção da cabeça: capacetes;
– Proteção de mãos e braços: luvas e mangotes;
– Proteção de pernas e pés: sapatos, botas e botinas;
– Proteção contra quedas: cintos de segurança e cinturões.

Redução de Custos

Os EPI’s (Equipamentos de Proteção Individual) além de essenciais à proteção do trabalhador, visando a manutenção de sua saúde física e proteção contra os riscos de acidentes do trabalho e/ou de doenças profissionais e do trabalho, podem também proporcionar a redução de custos ao empregador.

É o caso de empresas que desenvolvem atividades insalubres e que o nível de ruído, por exemplo, está acima dos limites de tolerância previstos na NR-15. Neste caso, a empresa deveria pagar o adicional de insalubridade de acordo com o grau de enquadramento, podendo ser de 10%, 20% ou 40%.

Com a utilização do EPI, a empresa poderá deixar de pagar este adicional na folha de pagamento, pois através da utilização adequada do equipamento, o dano que o ruído poderia causar à audição do empregado será eliminado. A eliminação do ruído ou a neutralização em nível abaixo do limite de tolerância isenta a empresa do pagamento do adicional, além de evitar quaisquer possibilidades futuras de pagamento de indenização de danos morais ou materiais em função da falta de utilização do EPI.

Entretanto, é importante ressaltar que não basta o fornecimento do EPI ao empregado por parte do empregador, pois é obrigação deste fiscalizar o empregado de modo a garantir que o equipamento esteja sendo utilizado. Para concluir, a utilização dos EPI’s faz parte das medidas de segurança, respeitar as NRs e promover a segurança do trabalho é o caminho para transformar o mundo mais seguro para a vida dos trabalhadores.

A conscientização da importância do EPI é fundamental para prevenir os acidentes de trabalho.

Sobre a Apolo
A Apolo Transportes nasceu nos anos 50 quando grandes empresas se instalaram em Mogi Guaçu e região, iniciando com transporte de combustíveis e diversos. Atualmente nossa logística está  conectando clientes e parceiros de  diversos segmentos  importantes para economia do Brasil, como papel/celulose, químicos, petroquímicos, higiene e limpeza, mineração e alimentícios.
Contacte-nos

(19) 3851 6200
Fax: (19) 3851 6201

Matriz Mogi Guaçu
Av. Mogi Mirim, 1447 – Bairro Areião

Filial Ponta Grossa – PR
Rua Francisco Ribas, 64 Sala 01 – Bairro Centro

Filial Arcos – MG
Rodovia BR 354, Km 478 S/nº – Bairro Córrego das Almas

Site desenvolvido por Nezz